24abr

Antonio Carlos Velloso: ‘O esporte é o meu rivotril!’

O administrador de empresas Antonio Carlos Velloso, de 53 anos, encarou duas grandes perdas em sua vida. Encontrou na corrida uma forma de seguir em frente. Tempos depois deu de cara com o triathlon, que o ajuda a sustentar a vida saudável que a corrida lhe proporcionou. Confira!

“Comecei a correr há cerca de quatro anos. Não conhecia o ‘mundo runner’ e vivia uma vida de total sedentarismo total. Vinha de duas perdas muito grandes em minha vida: as mortes de minha filha e de minha amada esposa Luciana. Vivia em consultórios psiquiátricos à base de Lexotam. Um dia decidi procurar um endocrinologista por que me sentia muito obeso e com dificuldades de respirar. Minhas taxas eram muito altas e já estava com diabetes tipo 2.

Minha primeira prova no Aterro foi a Corrida do Administrador. Corri os 5K mais longos da minha vida, em 1h10min. E de lá pra cá não parei mais. Hoje eu faço os mesmos 5K em 24 minutos.

Depois dos 5K me aventurei a correr 8K e a régua foi aumentando até os 10K. Nesse momento eu já corria quase todo dia e frequentava academia. Me via como um corredor e um corredor tem que fazer fortalecimento muscular.

Com o tempo comecei a buscar algo mais e a sair das corridas do Aterro do Flamengo. Passei   a correr em cidades do interior e da Região dos Lagos. Dos 10 passei aos 15K, mas foi bem sofrido. Daí para os 21K foi um pulo.

Um pulo que me fez ganhar o mundo. Depois dos meus primeiros 21K, fui correr no Peru,  Argentina, Uruguai, Chile, Patagonia, Ushuaia, Israel, Portugal… Fiz minha primeira maratona  em 2017. Mas não gostei! Foi muita sofrência!  Mas eu sentia que me faltava algo. Que não estava tão feliz só em correr. Moro no Recreio e um final de semana daquele ano de 2017 assisti ao IM 70.3. Enlouqueci e falei comigo mesmo que era aquilo que eu queria pra mim. E na semana seguinte eu me matriculei em uma escola de natação em águas abertas. Tinha pavor do mar e jamais havia nadado. Também comprei uma Caloi 10, pesadíssima, e parti para as provas curtas de triathlon. Fiquei viciado e um ano depois, em 2018, completei meu primeiro meio ironman.

Mas para manter a motivação lá em cima, é preciso ter Deus no controle da sua vida sempre! E ser grato pela saúde e pela vida que ele te dá.  Esse é o foco e esse é o meu caminho: DEUS. Assim eu vou treinando e competindo toda semana. E todas as provas são especiais e em todas eu fico nervoso e ansioso, como se cada uma delas fosse a primeira. Mas o que me deixa nervoso e ansioso de verdade é pensar no Ironman. Completar esta prova é um sonho. Acho que até me aposento.

Para chegar lá é preciso conciliar, com muita dificuldade, os treinos com o trabalho. Durante um tempo eu deixei o trabalho um pouco de lado e tive até um problema sério em minha empresa, quando um funcionário de confiança extraviou um dinheiro alto e quase me quebrou.

Mas o esporte é tudo para mim. Acho que se não fossem DEUS e o esporte eu já teria travado em cima de uma cama ou no além! Minha vida é muito estressante e o esporte é meu rivotril! Sem contar que o esporte, em especial o triathlon, me ajudam a planejar, a ter metas e alcançá-las, ter tranquilidade e paciência. E toda essa experiência eu levo para o meu dia-a-dia profissional!”

____________________________________________________________________________

3 thoughts on “Antonio Carlos Velloso: ‘O esporte é o meu rivotril!’

  1. Então….
    Me chamo Fernanda, sou ex babá dos filhos do (António Carlos velloso) e sinceramente já tem alguns anos que não o vejo.
    Levei um baita de um susto por que não era o velloso que eu conheci lá trás, extremamente diferente.Mas por outro lado feliz por ter dado uma grande volta por cima de tudo!
    Parabéns…..por se um grande profissional e agora uma grande atleta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *